terça-feira, 26 de maio de 2020

Covid da Fortuna

Eu estou sempre a dizer que quero um amigo farmacêutico como o Triptofano. E olhem... a vida abriu-me já uma janelinha na área.
Despois de mais de meio ano a viver com 550€ mensais (CORROOOOOOOOOOOORE, FILHAS!), eis que o CVs que mandei em janeiro deram frutos.
Arranjei o meu 3o emprego. Este não é na área. É ligado ao sector médico, poucas horas, nada pesado, bem pago. Definitivamente, reconhecendo o horror que o Covid trouxe à vida de muitas pessoas e acreditando que o pior ainda está para vir, a verdade é que para mim foi muito positivo.
Trouxe-me tempo, permitiu-me pela primeira vez em 4 anos ver Lisboa com outros olhos e começar a gostar dela, auxiliou-me a voltar à minha essencia e hábitos, a valorizar as pequenas coisas, a poder passar tempo com os meus gatos, a poder olhar a minha casa e ver os espaços encantadores que tem e não só pagar renda e vir dormir.
Não querendo parecer o Gustavo Santos... Covid, grata!

PS: sim... tenho 3 empregos. E há quem diga que eu tenho "sorte". Sorte só vem antes de trabalho no dicionário, mesmo.

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Do México XX

Parques Xcaret

Nunca tinha ido a um Parque temático.
A empresa Xcaret tem inúmeros projectos, todos localizados na zona da Riviera Maia.
Tem o Xcaret mesmo, que é um parque com praias artificiais, zoo, espetáculos de música e dança, restaurantes... é uma mini cidade!
Têm o Xenses, que é focado em sensações e onde existe um incrivel Povo Tonto, uma réplica de uma cidade onde as ruas são inclinadas, a subir e nós sentimos uma força que nos impele a descer. É muito doido e dificil de explicar, só vendo! Tem também o "Sensitórium", um percurso às escuras que nos faz passar descalços e cegos por 8 ecosistemas, apenas usando o tacto e a audição.
Tem inúmeras experiencias 3D, de ilusão de ótica, entre outras.
Tem o Xplora, de desporto radical. E varios outros parques.



























60 Dias de Gratidão# 60

Que sentido agradeces hoje?

A visão.
Usei óculos dos 5 anos até aos 28. Daqueles mesmo fundo de garrafa.
E a cirurgia laser foi das melhores decisões que tomei na vida.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Das pequenas grandes coisas

Nunca fui pessoa de praia...
Nunca me cativou particularmente.
Mas agora andava mesmo, mesmo com vontade de nadar.
E hoje fui.
Arrisquei, na expectativa de ser mandada para trás. Pensei que era ilegal nestes tempos Covidosos.
Mas não... Para minha surpresa, cheguei a Carcavelos e dei de caras com uma praia recheadinha de gente mas, felizmente, a respeitarem as normas. Nada de toalhas encavalitadas umas nas outras.
E soube-me tão bem, mas tão bem, que pela primeira vez na vida entrei sem berrar e reclamar do frio da água.
Que dia off tão belo.

60 Dias de Gratidão# 59

Que guilty plesure agradeces hoje?

Novelas. Adoro novelas brasileiras.
Sou tão noveleira!

sexta-feira, 15 de maio de 2020

Do medo que descamba em filhaputisse !

Tenho visto por aí malta que diz que isto da solidariedade em tempos de Pandemia é um tiro no pé, porque "ah e tal, não sabemos o que aí vem e eu também posso precisar e depois ninguém me ajuda", (ninguém ajuda cabrões egoistas, não é mesmo?); ou "Eu tenho filhos / pais / tios / primos / periquitos e temos que ajudar é os nossos" (excelente pensamento... diriam as familias monoparentais tão em moda actualmente).
Eu consigo compreender o medo do futuro, a incerteza. A sério que sim. Mas vá lá... não permitam que o medo ganhe a melhor e vos transforme em Filhos da P***
A verdade é que justamente por não sabermos o que aí vem, importa pensar que amanhã poderemos ser nós a precisar de uma mão amiga. E não gostariamos de a receber?


Há dias, quando fui ao supermercado, reparei num bilhete escrito à mão, na vitrine de um negócio.
Uma senhora oferecia-se para passear cães, ir a farmácia, fazer recados a troco de comida.
Caraças... mandados a troco de comida...
Lá fui à minha vida, trouxe o meu saco cheiinho de coisas para a minha casa aconchegante, com Tv cabo, wifi, fiz o meu café na minha máquina XPTO, comi bolachas e guloseimas... e algo não me deixava em paz. Não conseguia deixar de pensar naquele bilhete.
A senhora seria jovem? Estaria sozinha com um bebe? Seria uma idosa de muletas?
O egoismo ainda tomou a frente por umas boas 2h. Até que sai disparada de casa e fui ver do tal bilhete. Liguei ao número escrito à mão.
Descobri do outro lado uma mulher com apenas mais 2 anos do que eu. Sem familia (poderia bem ser eu...). A viver de favor em casa de uma amiga também ela desempregada. Com um discurso forte, positivo, cabeça erguida. Sem exigencias. Apenas gostaria de um pouco de comida.
Falei com a minha rommie e lá fomos levar-lhe um pouco do que tinhamos cá em casa (lembrando que eu ganho 500€ por mês e a minha rommie ficou desempregada entretanto). Conseguimos também através de um amigo do amigo do amigo um contacto improvável: um pastor evangélico que tinha uns cabazes guardados de um evento solidário feito não sei quando. Lá arranjamos um cabaz à moça.
E para minha surpresa e felicidade, disse-me a mesma que no dia seguinte mais pessoas aqui do bairro lhe ligaram a dizer que tinham visto o bilhete e oferecer apoio.
Quando queremos, a magia acontece!

60 Dias de Gratidão# 58

Que momento altruísta agradeces hoje?

Quando conheci aquela que é hoje em dia a minha melhor amiga, lembro-me dela referir que tinha tido uma infancia pobre e que sempre adorou ler e não podia adquirir livros.
Lembro-me dela dizer que teve apenas uma barbie que ganhou num sorteio. E eu tive um cesto cheio delas.
Ela adora Saramago.
Comprei-lhe um livro dele e ofereci-lhe no mesmo mês em que nos conhecemos e ainda nem havia grande laço entre nós.
Ver a cara dela de espanto e as lágrimas de felicidade não tem preço...

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Relatório de produtividade Covid 2020

Fiz uma conta de Instagram.
Estou a assistir pela primeira vez ao Quem Quer Namorar com o Agricultor.
Vejo diariamente o BB ZOMM.
Vejo 5 novelas ao dia.

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Maravilhas da Quarentena

Deixou claro que o teletrabalho é algo óptimo.
E sinceramente, eu vou ter saudades...
Saudades de ter aquela reunião no quintal, debaixo do meu limoeiro.
Saudades de mandar mails enquanto vejo a novela.
Saudades de gerir casos por telefone enquanto beijo os meus gatos.

Ah....

60 Dias de Gratidão# 57

Que memória de infancia agradeces hoje?

Lembro-me de ter uns 7 / 8 anos e viver numa vila.
A vizinha da frente tinha uma quinta cheia de animais e deixava-me brincar com eles.
Lembro-me de ser muito feliz a montar vacas, a alimentar galinhas, apanhar ovos.