terça-feira, 15 de setembro de 2020

E nóis estamos como???

Livres!
Ou quase...
No dia 1 fiz aqui um texto a dizer que pretendia mudar de emprego mas sempre dentro da área. Que queria começar o 2021 como Assistente Social num outro contexto.
E eis que dia 5 gastei todo um sábado a mandar mais de 200 Cvs. Cvs esses que até agora nem fui confirmar se alguém me respondeu.
Isto porque logo nessa noite, comecei a remoer as minhas opções. Entendi que era apenas movida por ego e medo. Ego de trabalhar para aquilo que estudei e nada menos que isso; medo económico.
Digeri melhor o que sentia no domingo. Meditei (estou no Curso Ativadores da Nova Era da famosona Ines Gaya e tem sido uma surpresa e tanto as coisas a que me estou a obrigar a olhar em mim).
Digeri tanto o que pensava / sentia que somatizei. Foram dias de diarreia, picos de febre, taquicardia, ataques de ansiedade e insónias. Muitas náuseas. Até que, após exorcizar e dissecar cada pensamento, cada consequencia possivel, cada sombra da minha loucura, dia 10 comuniquei o meu despedimento.
Não querendo ser cabra, disse-lhes que podiamos negociar a minha saida para também não os deixar na mão.
Queria ter apontado o dedo, ter-me queixado de mil coisas, da minha chefe, da intervenção mas... acredito que se comunicarmos com Amor, tudo é mais fácil. E assim sendo optei por lhes comunicar que neste mundo há lugar para todos, para todas as visões e tipos de intervenção mas que eu não me sentia confortável com a deles nem ressoava comigo e a minha alma. A comunicação foi tranquila, pacifica. E todos os meus sintomas fisicos desapareceram desde esse dia.
Portanto... carta de alforria em processamento!

Só eu sentir-me aliviada e contente, diz muito sobre a decisão que tomei ser a certa ou não.

PS: outro emprego como Assistente Social? Porque não fui ver se alguém me respondeu aos CV's enviados? Pois porque tenho medo de ver lá alguma proposta e o meu ego ceder... porque na verdade decidi dar um tempo da área. Decidi que posso ter 2 empregos e não 3 sem me sentir mal com isso (pânico de ser parasita social, dizem... ou worckaholic, não sei...).
Já tenho 2 empregos, um na área, outro fora. Não tenho forçosamente de ter 3 empregos e 0 tempo para mim. Perco um salário, é certo. Mas ganho 4 manhãs que posso usar para explorar tudo o que tenho descoberto sobre mim neste mundo pandémico incrivel. Por exemplo, tenho imenso jeito para desenhar! E nem desconfiava disso... Estou a descobrir o Mundo da Ginecologia Natural (e curiosamente este mês começa um curso da Ginecologista mais famosa que por aí anda e decidi dar esse passo na minha formação). Inscrevi-me em imensos cursos durante o verão e não tenho tido tempo para avançar em nenhum (agora acabaram-se as desculpas). Ando a desenhar na minha mente a ideia de um negócio próprio... 
Não se enganem... o meu cérebro grita, o meu ego lança-me medos ("e se...?"). Tenho muito medo de me arrepender, de me fazer falta o dinheiro, de ficar desempregada como consequencia Covid... é uma batalha diária contra mim e contra a ansiedade. Mas só me resta ter fé.

1 comentário:

  1. Olá Raven,

    Antes de mais, muitos parabéns pela tua decisão! Não é fácil arriscar e dar o salto, mas se não o fizermos pensamos sempre "e se o tivéssemos feito?". Sinceramente, eu acho que é muito importante sabermos dizer BASTA quando chegou a altura e quando achamos que nada mais temos a aprender. Faz parte do nosso crescimento pessoal e profissional. Quanto a teres tempo paar ti, fazes muito bem.. de que te serve o dinheiro, se depois não tens tempo para gozar a vida. Temos que ter sempre um plano B e, se possível, alguma margem para imprevistos, mas o que vamos levar connosco nunca será dinheiro, mas sim experiência de vida, feitos, desafios superados e tudo mais.

    Aproveita o tempo que tens para fazer o que gostas. É o melhor que fazes.

    Parabéns mais uma vez por dares o salto... agora é só "voar" :)

    beijinhos,
    Anouk

    ResponderEliminar